segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Criança #DiaDasCrianças

Relembrando tempos atrás
Onde tínhamos confiança
As coisas não eram tão más
Naqueles tempos de criança
Onde tudo ia dar certo
Todos iam estar perto
Isso me veio à lembrança

Mas então nós crescemos
E nessa minha andança
Percebi que o que vemos
Não vemos como criança
Com o olhar de pureza
Percebendo a beleza
Dessa nossa vizinhança

Talvez tenhamos que voltar
A quando tínhamos pujança
Quando podíamos imaginar
Na nossa mente de criança
Um mundo cheio de paz
Para nós e pros demais
Sem essa insegurança

Mas nossa mente mudou
E maldita foi a mudança
Eu me pergunto se sobrou
Algo da nossa criança
Mesmo que lá no fundo
Para consertar esse mundo
E restaurar a esperança

Doug Álisson

12 comentários :

  1. Feliz dia das crianças!!!

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Douglas, tudo bem?

    Que lindo o seu poema, parabéns! <3 E só de pensar que, quando eu era criança, não via a hora de crescer...eu não sabia que era uma armadilha! hahahaha
    Tudo era tão mais fácil, onde eu rebobino? hahaha

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tamires.
      Tudo sim :D
      Obrigado pelo elogio. E como éramos ingênuos quando crianças, não é mesmo? haha

      Beijos ;*

      Excluir
  3. Olá,
    Texto muito bom.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Inês :D
      Beijos e volte sempre.

      Excluir
  4. Eu daria tudo para voltar a ser criança, tudo era mais colorido e lindo *--*
    eu envolvia a fantasia com a realidade, uma coisa que não faço mais pq não vai da mais certo e não vai ter mais a mesma magia !
    seu texto é lindo <3 já estou seguindo o blog.

    seteprimavera.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também daria tudo, Gabs =/
      Obrigado pelo elogio e também estou seguindo o seu :D

      Excluir
  5. Bommm!
    A vida anda, o tempo passa
    O que resta apenas em nós são memórias
    E não há como recuperar
    Essa é a vida, fazer o quê?

    Bonito texto, gostei

    DE LA VÉRITÉ

    ResponderExcluir