quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Melhores Coisas

O que mais marca a nossa vida
Às vezes me pego pensando
É aquela coisa boba e contida
Que não estamos considerando

Apreciar uma noite de luar
Observando bem as estrelas
Encontrar pessoas para amar
E ter o medo de perdê-las

Se agasalhar durante o frio
E se refrescar quando calor
Tomar um bom banho de rio
Assistindo ao sol se pôr

Dormir numa tarde chuvosa
Ouvindo as gotas na janela
Contemplar uma linda roas
Aproveitando o cheiro dela

Comer algo delicioso
Sem medo de se lambuzar
E sentir-se fabuloso
Quando um sonho realizar

Ter alguém pra desabafar
Com aquele choro que alivia
Pois os momentos que vamos passar
Nem sempre serão de alegria

Doug Álisson

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A Coisa Mais Bonita

Esse teu sorriso
Mostrando-me o paraíso
Esse teu olhar
Impossível de detalhar
Essa tua beleza
Que faz inveja à natureza

Essa tua coragem
Presa a ti, igual tatuagem
Essa tua intensidade
Que te faz viver de verdade
E esse teu amor
De todos, o mais encantador

Te fazem ser
A coisa mais bonita que já vi
Te fazem ser
A coisa mais bonita que já vivi

Doug Álisson

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Retorno

Sim, acabei dando uma pausa
Pois perdi a inspiração
E considero uma justa causa
Porque fiquei sem opção

Poesia tem que vir de dentro
Não pode ser feita sem emoção
Tem que vir do âmago, do centro
Tem que vir do coração

A quem vinha sempre aqui
Peço desculpas: "foi mal"
E a quem não está nem aí
Não faz diferença, afinal

E perdoe se tiver sido morno,
Mas esse aqui é o meu retorno

Doug Álisson

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Amigo #DiaDoAmigo

Amigo
É abrigo
Mesmo antigo
Está comigo

Então prossigo
Ando contigo
Sem perigo
Sem castigo

Te bendigo
E digo:
Obrigado, amigo

Doug Álisson

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Aqui

Sei que não és perfeita
E mesmo com tua desfeita
Eu vou continuar aqui

Mesmo que me diga "esqueça"
E ainda que eu não te mereça
Não vou sair daqui

Sei que podes não me querer
Mas se isso um dia acontecer
Eu vou estar aqui

Pois saiba que sou insistente
Mas só quero o suficiente
Quero você aqui

Doug Álisson

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Sentimentos

Em se tratando de sentimentos
Não concordo com a falácia
Que feliz é quem sente menos
Pois feliz é quem tem a audácia
De confessar o que sentia
E de sentir em demasia

Doug Álisson

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Arrependimento

Aquele peso na consciência
Lembrando o que foi feito
Pena que pra isso a ciência
Ainda não encontrou jeito

Ele fez o que achava certo
Sem pensar na consequência
Achava-se o mais esperto
Mas faltou-lhe paciência

Decidiu não mais agir assim
Pensava em tudo que fazia
Mas então encontrou seu fim
De muito pensar, nunca agia

Ele fraquejou daquela vez
E a oportunidade não espera
Outrora arrependeu-se do que fez
Mas ainda mais do que não fizera

Doug Álisson

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Sujeitos

Me perguntaram certo dia
Por onde anda um tal sujeito
O sujeito do verbo amar
Sem a resposta, fiquei sem jeito
Mas depois sobre ele fiquei a pensar

Pois já que é na simplicidade
Que se encontrado amor de verdade
Será simples esse sujeito?
Acho que não, não estou pensando direito

Se não é possível determinar
Com precisão o que é amar
Deve ser sujeito indeterminado
Ou talvez eu esteja enganado

Como o amor está faltando
Ainda mais pra quem está amando
Deveria ser sujeito oculto
Mas isto seria um insulto

Ora, se não tem definição aparente
Só pode ser sujeito inexistente!
Mas para um sentimento existir
Um sujeito ele deve possuir

Então depois de muito raciocinar
A conclusão eu tenho que dizer:
O sujeito do verbo amar
É sujeito a sofrer

Doug Álisson

terça-feira, 24 de maio de 2016

Empatia

O mundo está tão egoísta
Repleto de homofobia
Também racista e machista
Ficando mais a cada dia

Prega uma certa filosofia
Prega um determinado amor
Mas nem demonstra simpatia
Àquele que está com dor

O problema destas pessoas
Que se dizem ser tão boas
É que se acham o máximo
Mas não amam um décimo
Têm um amor tão ínfimo
Pelo tal do próximo
Que o deixam por último

Pois estas pessoas "de bem"
Desta nossa aristocracia

Pensam em si e em mais ninguém
Não sabem o que é empatia

Doug Álisson

terça-feira, 10 de maio de 2016

Mainha #DiaDasMães

Este poema é sobre uma mãe
A minha, que é um primor
Logo, dentre os que eu fiz,
Este é o feito com mais amor

Desde sempre somos mãe e filho
Temos aquela ligação materna
E quem dera se por um descuido,
Deus te fizesse eterna

Que sorte eu ser filho único
Assim sei que és somente minha
Te amo mais que a minha vida
E sempre te amarei, mainha

Doug Álisson